person sitting front of laptop

27 outubro, 2022

Jornalistas que investigam o dinheiro por trás da desinformação podem se candidatar a série de aulas magistrais

Jornalistas investigativos, estrategistas de redes sociais, desenvolvedores e outras pessoas que têm lutado contra a desinformação nas Américas têm uma nova oportunidade de aprender técnicas e estratégias com especialistas de renome mundial – bem como de conseguir apoio a projetos de reportagens transnacionais e colaborativas que investigam as fontes de perigosas campanhas de desinformação.

Em parceria com o Centro Internacional de Jornalistas (ICFJ), o Centro Knight para o Jornalismo nas Américas está oferecendo uma série de aulas magistrais para jornalistas sediados na América Latina, nos Estados Unidos e no Canadá. É parte do programa  Disarming Disinformation do ICFJ, uma iniciativa global de três anos que tem o apoio da Fundação Scripps Howard.

As aulas magistrais ocorrerão nos dias 17 e 18 de novembro, das 9h30 às 12h30 no horário de Nova York, EUA (Eastern Standard Time, EST). Todas as aulas estarão disponíveis em inglês, português e espanhol. Candidate-se aqui até 15 de novembro.

Disarming Disinformation banner in Portuguese

“A ameaça à democracia é uma realidade na maioria dos países das Américas, e tem sido alimentada pela desinformação”, disse Cristina Tardáguila, diretora sênior de programas do ICFJ que lidera o programa Disarming Disinformation. “Queremos dar a mais jornalistas as ferramentas para descobrir as conexões entre os desinformadores e revelar de onde vem seu financiamento”.

As aulas contarão com sessões lideradas por jornalistas renomados como a brasileira Patricia Campos Mello, da Folha de S. Paulo; a costa-riquenha Giannina Segnini, da Universidade de Columbia em Nova York; e Craig Silverman, da ProPublica, nos EUA; assim como a pesquisadora Claire Wardle, da Universidade Brown, nos EUA. Eles vão liderar sessões de uma hora e meia sobre temas como desinformação na política e na saúde, estratégias para “seguir o dinheiro”, e ferramentas para desvendar redes de desinformação.

“Nós do Centro Knight estamos muito entusiasmados em contribuir com o programa ‘Disarming Disinformation’ do ICFJ”, disse o professor Rosental Alves, fundador e diretor do Centro Knight para o Jornalismo nas Américas. “Esta colaboração permitirá ao ICFJ alcançar milhares de jornalistas na América Latina e no Caribe que fizeram nossos cursos e oferecer-lhes esta oportunidade inovadora de treinamento que pode ser estendida a projetos de reportagem investigativa”.

Repórteres que participarem da série de aulas magistrais terão a oportunidade de propor projetos colaborativos e transnacionais destinados a expor as pessoas e instituições por trás das campanhas de desinformação. Aqueles que submeterem as 15 melhores propostas serão convidados a participar de uma maratona presencial de investigação nos Estados Unidos em abril de 2023, onde poderão ser escolhidos para receber financiamento e orientação adicional para completar seus projetos.

Laura Zommer, co-fundadora da Factchequeado (EUA) e diretora-geral do Chequeado (Argentina), coordenará os eventos e orientará as discussões e atividades.

“[O programa Disarming Disinformation] é um sonho tornado realidade para aqueles de nós que atuam nos campos de verificação de fatos e pesquisa de desinformação”, disse Zommer. “A iniciativa nos dá a chance, por três anos, de nos concentrarmos em investigar quem paga pela desinformação que está afetando profundamente nossa sociedade. Cada atividade foi projetada para fomentar equipes de jornalistas novos e experientes de toda a região que, colaborando, exporão o dinheiro por trás das mentiras”.

Uma das professoras das aulas magistrais, a jornalista Giannina Segnini, diretora do Programa de Mestrado em Jornalismo de Dados da Escola de Jornalismo da Universidade de Columbia, diz que o programa trata de assuntos urgentes.

“Um exército crescente de mercenários digitais mina os pilares da democracia com mentiras, movendo os sentimentos das massas como marionetes controladas à distância, a serviço do maior lance e à sombra do anonimato”, disse Segnini. “Esta iniciativa aponta assertivamente o caminho para jornalistas investigativos descobrirem o último e mais importante elo: os nomes daqueles que pagam por envenenar nossa sociedade”.

Não perca esta grande oportunidade de mergulhar profundamente na luta contra a desinformação. Candidate-se para a série de aulas magistrais até o dia 15 de novembro!