Matemática para Jornalistas - Mulher segurando Calculadora

24 agosto, 2011

Inscreva-se para o curso “Matemática para jornalistas” e perca o medo dos números

Números são nossos amigos. Este é o mantra que Sandra Crucianelli quer espalhar com o curso “Matemática para jornalistas”, do Centro Knight. As aulas, que ocorrerão de 12 de setembro a 16 de outubro de 2011, serão oferecidas em espanhol. Informações sobre o curso podem ser encontradas aqui e as inscrições podem ser realizadas até as 19h (horário de Brasília) do dia 2 de setembro.

“Neste curso vamos aprender a ver os números não como inimigos dos jornalistas, mas como aliados”, disse a jornalista argentina, que quer ajudar profissionais da comunicação a superar o medo de matemática. “No entanto, nossas vidas estão cercadas por números, quantidades, estimativas, valores monetários”, afirmou. “Números falam; eles nos dizem coisas.”

E é o que eles dizem que pode ajudar os jornalistas a percorrer as montanhas de dados que chegam às suas mesas – dados de fontes governamentais e não-governamentais que vêm “com os cálculos já feitos”, observou Crucianelli. Ela adverte que as amostras estatísticas podem conter erros e que as fontes podem usar “um método que não estava certo” e que leva a conclusões falsas. Ela espera que, depois de fazer o curso, os jornalistas sejam capazes de detectar esses erros e manipulações.

A partir de exercícios de matemática, Crucianelli vai ensinar os alunos a calcular multidões, determinar a área de um derramamento de óleo e até mesmo calcular a quantidade de tinta necessária para pintar a Casa Branca. Este último exercício conduziu a um furo de um intrépido jornalista latino-americano, que descobriu corrupção praticada por um prefeito que decidiu pintar seu escritório.

“Ocorreu a um jornalista verificar o cálculo”, disse ela narrando o e-mail que um aluno lhe enviou dois anos depois dela ter ministrado o curso. “Ele reparou que o número era demasiado elevado”. Usando os mesmos cálculos que tinha aprendido com o exercício da Casa Branca, o jornalista descobriu que o prefeito estava comprando tinta não só para seu escritório, mas também para sua casa. “Na realidade, eles compraram a pintura. Mas compraram dez vezes acima do necessário “, disse ela. “Eles estavam levando para casa, a tinta que não era usada no escritório estava sendo dividida entre funcionários do governo. Uma forma de roubo.”

Embora os exercícios sejam uma parte importante do curso, Crucianelli também planeja ensinar operações matemáticas básicas, medidas de volume, percentuais, índices, taxas, como encontrar mediana, média e modo, e como interpretar o índice de preços ao consumidor.

Crucianelli, especialista em jornalismo investigativo, estabeleceu a sua amizade com números quando estudou ciências. “Durante a época da ditadura, não havia jornalismo”, explicou ela. “Era perigoso estudar humanidades.” Em vez disso, ela decidiu estudar bio-química para se tornar uma repórter de ciência. “Eu estudei um monte de estatísticas, química, matemática, análise”, contou.

Agora Crucianelli apresenta um programa de notícias de televisão em sua cidade natal, Bahia Blanca, e é fundadora e editora-chefe do SoloLocal.Info, um site de jornalismo digital. Ela já recebeu prêmios da Sociedade Interamericana de Imprensa, da Reuters Foundation e o prêmio bienal da Argentine Medical Association.

“Matemática para Jornalistas” está aberto a jornalistas interessados da América Latina e do Caribe. Eles terão até 19h do dia 2 de setembro para se inscrever neste curso. Será cobrada uma taxa administrativa de 50 dólares.

O Centro Knight foi fundado pelo professor Rosental Alves em agosto de 2002 com uma doação de US$ 2 milhões da Fundação John S. e James L. Knight com o objetivo de ajudar jornalistas da América Latina e do Caribe a aumentar a qualidade do jornalismo em seus países. O Centro também recebeu contribuições de outros financiadores como as Fundações Open Society e a Universidade do Texas.