texas-moody
Blog

“Muito além dos gadgets”: novo curso online em espanhol sobre como cobrir Internet e tecnologia

A cobertura de tecnologia deve ir além das reportagens que abordam o assunto como se fosse apenas algo novo, sem uma longa jornada prévia, diz Natalia Zuazo, jornalista argentina e cientista política que será a instrutora do próximo curso de espanhol no Centro Knight: “Jornalismo na Internet e tecnologia: como cobrir seus impactos além dos gadgets”.

Agora você pode se inscrever neste curso gratuito, que ocorrerá de 27 de julho a 23 de agosto.

Periodismo de internet y tecnología

Zuazo disse que muitas vezes falta de contexto na cobertura sobre tecnologia. Ela quer que as pessoas se lembrem de que a internet completou 50 anos no ano passado e as mídias sociais existem há 15 anos. Seria um erro grave, disse ela, “contar uma história que começa nos dias atuais.”

“A mídia não pode ser uma janela de consumismo porque a tecnologia hoje, o direito de poder se conectar à Internet, é um direito humano. Não podemos continuar tratando-o como algo que pode ser consumido”, disse Zuazo, que ministrará o curso com a ajuda do instrutor assistente Federico Kukso.

O curso de quatro semanas abordará a infraestrutura tecnológica, os monopólios de tecnologia que dominam o setor, os dados pessoais dos usuários, a questão da legalidade, como exercer esses direitos e a segurança online.

O curso é dividido em quatro módulos, cada um ministrado por Zuazo.

  • Na primeira semana, aprenda como fazer reportagens de tecnologia que vão além de histórias sobre o mais novo gadget ou versão. Aprenda a questionar temas que não estão sendo discutidos, como adquirir informações e as quatro dimensões que qualquer matéria de tecnologia deve ter para ser melhor.
  • Na segunda semana, aprenda como a Internet funciona a partir de sua infraestrutura e dos processos de abertura e privatização que fizeram parte dela.
  • Na terceira semana, será discutida a operação do modelo de negócios na Internet e das empresas de tecnologia em relação a dados pessoais.
  • Finalmente, na quarta semana, serão abordados os principais conceitos de segurança de computadores, para que qualquer jornalista possa entender e escrever uma reportagem com melhores ferramentas.

O curso consistirá de vídeos e palestras e incluirá entrevistas com especialistas em direito e segurança de computadores, além de jornalistas que fornecerão informações e contexto adicionais.

O curso, realizado em parceria com a UNESCO, será organizado pelo Journalism Courses, um programa de aprendizado online para jornalistas do Centro Knight de Jornalismo nas Américas da Universidade do Texas em Austin.

Natalia Zuazo

Natalia Zuazo

A “semente do curso”, como Zuazo o descreve, foi o manual online “Manual de Jornalismo Tecnológico” que a UNESCO pediu ela para escrever sobre como os jornalistas podem desenvolver uma visão crítica ao escrever reportagens sobre tecnologia. O objetivo é evitar o “jornalismo por gadgets”, que ignora as realidades da desigualdade que existe, e que os jornalistas tenham a capacidade de falar com essa realidade.

“A UNESCO na América Latina apoia muito esses tipos de materiais. Na realidade, para mim, é uma honra que eles trabalhem com essas questões e que tenham me chamado,” disse Zuazo.

“É um prazer para nós, no Centro Knight, lançar outro projeto em associação com a UNESCO para oferecer este curso gratuito a jornalistas”, disse o professor Rosental Calmon Alves, fundador e diretor do Centro Knight de Jornalismo nas Américas. “A cobertura tecnológica e da Internet precisa de uma atenção mais profunda, mais contextualizada. Este curso ajudará os jornalistas a aprender sobre esses aspectos legais e a infraestrutura da Internet, a complexidade dos algoritmos, os perigos da violação da privacidade e o mundo do big data.”

Este curso não é apenas para jornalistas de tecnologia, mas também para jornalistas que desejam aprender como adicionar dados e contexto social às suas histórias. Zuazo disse que deseja que os alunos até o final do curso levem em consideração o que o leitor realmente precisa saber para ter uma visão mais ampla e contextualizada sobre questões relacionadas à Internet e tecnologia.

As reportagens que focam apenas nas tecnologias mais recentes não tendem a tratar das desigualdades, disse Zuazo. O jornalismo técnico deve estar consciente da desigualdade, especialmente na América Latina, e deve contextualizar a dinâmica social existente, enfatizou Zuazo.

Este curso gratuito é assíncrono, o que significa que os participantes podem participar nos dias e horários que melhor lhes convierem.

Os alunos que concluírem com êxito os requisitos do curso têm a opção de pagar uma taxa administrativa de US$ 30 para receber um certificado de conclusão em formato PDF. O Centro Knight avaliará os casos de estudantes que precisam de isenção dessa taxa. Nenhum crédito formal da faculdade está associado ao certificado.

Inscreva-se agora para este curso online.

Sobre a instrutora

Natalia Zuazo é formada em ciências políticas e formou-se na Universidade de Buenos Aires. É mestre em jornalismo pela Universidade Torcuato di Tella. Ela é a autora dos livros “Guerras da Internet” e “Proprietários da Internet”. Em 2016, ganhou o ESET Latin America Award em segurança de computadores. Escreveu sobre a interseção de tecnologia e política por mais de dez anos na edição do Cone Sul do Le Monde Diplomatique Edition, Brando, Infobae e Anfibia e outras publicações. Em sua experiência anterior em jornalismo, foi editora de notícias online para Clarín.com, Perfil.com e Crítica da la Argentina e coordenou o projeto digital da Revista Anfibia (FNPI / UNSAM). Zuazo dirige a Salto, uma agência de comunicação e inovação tecnológica que trabalha com governos e organizações. É consultora da UNESCO na América Latina, assessora do Ministério de Inovação Pública da Argentina e pesquisadora associada da Associação dos Direitos Civis da Argentina na regulamentação de tecnologias e direitos.

Sobre o instrutor

Federico Kukso é jornalista de ciências. Ele se especializou em história da ciência na Universidade de Harvard e no MIT. Em 2015-16, foi bolsista Knight Science Journalism do MIT. Ele é membro do conselho da Federação Mundial de Jornalistas Científicos. Ele escreve sobre ciência, cultura e tecnologia em La Nación (Argentina), Le Monde Diplomatique, Agência SINC (Espanha), Tec Review (México) e El Universal (México), entre outras publicações. Foi editor de ciência nos jornais Página / 12, Criticism of Argentina e Muy Interesante Argentina, além de subeditor da revista Ñ (Clarín). Ele é o autor dos livros “O banheiro nem sempre foi assim” (Iamiqué), “Tudo o que você precisa saber sobre ciência” (Paidós), “Dinossauros do fim do mundo” (Penguin Random House) e “Odorama: história cultural do cheiro “(Touro). Ele é membro da Rede Argentina de Jornalismo Científico. Em 2017, ele foi reconhecido pela Fundação Konex como um dos 100 jornalistas científicos mais importantes da Argentina na década de 1007-2017. Eu tenho vidas em Buenos Aires, Argentina.

fkukso.com

@fedkukso

instagram.com/fedkukso

Sobre o Centro Knight

O Centro Knight de Jornalismo nas Américas foi criado em 2002 pelo professor Rosental Alves, ocupante da cadeira Knight de Jornalismo da Moody College of Communication da Universidade do Texas, graças às doações generosas da Fundação John S. e James L. Knight. O programa de ensino à distância do Centro Knight começou em 2003 e é financiado em parte pela Fundação Knight. Nos últimos seis anos, os MOOCs do Centro Knight atingiram mais de 200.000 pessoas em 200 países e territórios.