texas-moody
Blog

Centro Knight lança livro sobre ‘Diversidade no Jornalismo Latino-Americano’ durante a conferência NAHJ

Nos últimos seis meses, o Centro Knight para o Jornalismo nas Américas reuniu jornalistas da América Latina e do Caribe para treinamento e discussões sobre o tema da diversidade no jornalismo. O projeto começou em janeiro com um curso online massivo, continuou em março com a primeira conferência latino-americana sobre diversidade no jornalismo e culmina agora com o lançamento de um livro.

O pioneiro e-book “Diversidade no Jornalismo Latino-Americano” será lançado durante a conferência anual da National Association of Hispanic Journalists (NAHJ).

“Não é por acaso que estamos lançando o livro na NAHJ, uma organização que deve ser elogiada por seus esforços de décadas para promover a diversidade nas redações dos Estados Unidos, um grande exemplo para a América Latina e o mundo”, disse o professor Rosental Alves, fundador e diretor do Centro Knight, que também dirigiu esse projeto.

O ebook inclui reflexões de 16 jornalistas de sete países sobre como tornar as redações e a cobertura de notícias mais inclusivas, e cinco desses autores estarão no painel de 17 de julho na NAHJ das 12h30 às 13h30 (Horário Padrão do Leste dos EUA). Será no último dia da semana de uma conferência que durou um mês e que neste ano teve que ser apenas online devido à pandemia.

O livro estará disponível para download gratuito no site Journalism Courses do Centro Knight no mesmo dia do painel.

Os palestrantes incluem quatro coautores do livro – Andrea Medina (do Chile); Jamile Santana (do Brasil) e María Teresa Juárez e Eladio González (do México). Mariana Alvarado, que editou o ebook, também participará do painel que será moderado pelo professor Alves.

Ebook launch event panelists

Da esquerda para direita, de cima para baixo: Andrea Medina, Jamile Santana, María Teresa Juárez, Rosental Alves, Mariana Alvarado and Eladio González.

“Na América Latina, ao contrário de outras regiões do mundo, a gestão da diversidade é incipiente, é nova”, disse Alvarado. “Estimo que foi apenas na última década que as redações tradicionais começaram a dar mais atenção à diversidade. No entanto, à medida que fazem menos do que deveriam, surgiram novos e vários outros nichos de meios nativos digitais que buscam abordar a diversidade de diferentes frentes: veículos feministas, veículos que cobrem e têm como foco pessoas com deficiência ou questões étnicas e raciais.”

“Embora seja ainda incipiente, considero que o que foi feito é muito notável e de grande qualidade. Não há dúvida de que com essa demanda, em nível global e principalmente na América Latina, as redações serão mais inclusivas e isso se refletirá também em sua cobertura”, continuou.

Antes do ebook, o Knight Center, com o apoio da Google News Initiative, ofereceu um Massive Open Online Course (MOOC) sobre o assunto e organizou a Primeira Conferência Latino-americana sobre Diversidade no Jornalismo.

Ministrado pelo jornalista peruano Marco Avilés, “Diversidade nas Notícias e Redações”, aconteceu inicialmente de janeiro a fevereiro de 2021 como um MOOC, mas agora está disponível online como um curso autodirigido e pode ser feito a qualquer hora e gratuitamente através da plataforma JournalismCourses.org.

Durante a conferência pioneira sobre diversidade realizada em 26 e 27 de março, um grupo de 22 palestrantes do continente falou sobre gênero, orientação sexual, questões raciais e étnicas e deficiência. O vídeo de cada painel pode ser visto no canal do YouTube do Knight Center.

Agora, o ebook será publicado em espanhol e estará disponível para download gratuitamente no JournalismCourses.org do Centro Knight.

Os autores, como destacou Alvarado, são líderes na promoção da diversidade nas redações, e alguns lançaram veículos de mídia digital nativa por e para públicos mais diversos.

“É importante que mostremos neste livro o que já foi feito, mas também que sirva de guia, com conselhos e dicas para quem tem interesse em divulgar a linguagem DEI (diversidade, equidade e inclusão)”, disse Alvarado. “Esses conceitos são, no contexto da América Latina, mais importantes do que nunca.”

“Como você vai ler no livro, a América Latina é diversa e é importante que essa diversidade se reflita nas redações. Com redações mais diversas, temos redações mais pluralistas, mais democráticas, e essa é a melhor forma de contribuir com um jornalismo de qualidade que atenda a todas as etnias e diferentes comunidades. Não podemos continuar a nos concentrar em apenas um segmento da população porque nossa população latino-americana é rica e diversificada ”, concluiu.

“Há um clamor em todo o mundo por diversidade, equidade e inclusão”, disse o professor Alves. “Esperamos que esse projeto e o trabalho futuro do Centro Knight contribuam para a conscientização e o debate sobre DEI entre jornalistas, executivos de mídia e acadêmicos de jornalismo nas Américas”.